30 de jan de 2009

sou eu a maluca ou o quê?

a mulher que acabou de parir (ou melhor, ter, pq parir é outra coisa) 8 filhos recusou uma proposta de aborto seletivo feita pelos médicos, quando eles souberam que eram tantas crianças em gestação.
até aí eu posso entender seus motivos, claro, nem quero entrar nessa discussão.
MAS...
a nêga já tinha ... SEIS filhos!!!! de 7, 6, 5, 3 e dois com 2 anos!!!!!
caraca, pq cargas d'água uma mulher queria taaanto mais filhos????

pideiti: ah, não sou só eu, não... até alguns americanos acham isso uma maluquice...

pideiti 2: PIOR, a "maluca" (pq agora eu consegui determinar que ELA é a maluca, não eu...) é solteira e mora com a mãe... ai, meus sais...

29 de jan de 2009

narnia - ainda bem!



é tão bonitinho...
e agora confirmaram o 3º filme!
ainda bem!
g. agradece (e eu tb!)... rs

mais sobre a decisão aqui.

27 de jan de 2009

Curta metragem - E agora?

de um professor colega meu, com alunos de uma unidade que eu não dou mais aula (se bem que aluno é "quase" tudo igual... rs).
bonito o filme, não?

22 de jan de 2009

Conto de Fadas para Mulheres do Século 21

Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa, independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã.

Então, a rã pulou para o seu colo e disse:

- Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Uma bruxa má lançou-me um encanto e eu transformei-me nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre...

Naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava:

– Nem fudendo !

(Luís Fernando Veríssimo)


[não tenho como comprovar a autoria, mas q o conto é bom, é!!!!]

18 de jan de 2009

disquinhos!



clique aqui ou aqui.

eu passei DOIS dias fazendo download (provavelmente pq sou meio anta, mas enfim...), mas tenho TODOS os disquinhos da coleção!!!
já tinha em casa uns CDS coloridos (dos meus filhos mais velhos), mas nem de longe ia conseguir comprar todos os títulos.
agora eu tenho todas as histórias organizadinhas!
oba!!!

pra saber mais, clique aqui, parece que os links não estão mais funcionando (não sei porquê, eu descobri ao procurar a ÚLTIMA história, a dos 3 porquinhos, q não era a correta/não tinha nos primeiros links, na semana passada estava funcionando...).

f., eu te gravo um CD com todas as historinhas, pódeixar...

pidaite: vcs não me entenderam (ou eu não me expliquei direito...): só o último link não está mais funcionando, mas toda a informação lá é muito bacana, vale a pena a visita! os dois primeiros links, funcionam bem, firmes e fortes! rs
MAS, quem quiser, eu faço uma cópia do cd, em mp3. posso levar lá na matrice, q tal?...

14 de jan de 2009

próprio-otária

eu tenho uma camiseta-regata há mais de 6 anos. ok, ela é bonitinha, mas não é exatamente uma peça nova. certo?
estamos dormindo provisoriamente na casa da sogra, enquanto minha reforma não termina (q era pra ser super-rápida, mas vcs devem conhecer esse tipo de história de outros carnavais, reforma NUNCA demora o tempo estimado...).
ontem, na hora de dormir, como não achava meu pijama, e como estava muito calor, dormi com a MINHA regata.
tomei a maior bronca da filha!!! pq eu usei a MINHA regata... é que ela queria usar...
ai, ai.
não sou mais dona nem de uma regata de 6 anos!

ps: o desenho do snoopy eu tirei de uma fonte q eu tenho aqui no mac. não é incrível a informática?!

12 de jan de 2009

escrever, snoopy, blog





















eu simplesmente AMO o snoopy!!!

10 de jan de 2009



VIVA LA VIDA

I used to rule the world
Seas would rise when I gave the word
Now in the morning I sweep alone
Sweep the streets I used to own
I used to roll the dice
Feel the fear in my enemy's eyes
Listen as the crowd would sing:
"Now the old king is dead! Long live the king!"
One minute I held the key
Next the walls were closed on me
And I discovered that my castles stand
Upon pillars of sand, pillars of sand

I hear Jerusalem bells are ringing
Roman Cavalry choirs are singing
Be my mirror my sword and shield
My missionaries in a foreign field
For some reason I can not explain
Once you know there was never, never an honest word
That was when I ruled the world
(Ohhh)

It was the wicked and wild wind
Blew down the doors to let me in.
Shattered windows and the sound of drums
People could not believe what I'd become
Revolutionaries Wait
For my head on a silver plate
Just a puppet on a lonely string
Oh who would ever want to be king?

I hear Jerusalem bells are ringing
Roman Cavalry choirs are singing
Be my mirror my sword and shield
My missionaries in a foreign field
For some reason I can not explain
I know Saint Peter will call my name
Never an honest word
And that was when I ruled the world
(Ohhhhh Ohhh Ohhh)

Hear Jerusalem bells are ringings
Roman Cavalry choirs are singing
Be my mirror my sword and shield
My missionaries in a foreign field
For some reason I can not explain
I know Saint Peter will call my name
Never an honest word
But that was when I ruled the world
Oooooh Oooooh Oooooh"


VIVA A VIDA

Eu costumava reger o mundo
Mares se agitavam ao meu comando
Agora, pela manhã, me arrasto sozinho
Varrendo as ruas que costumava mandar

Eu costumava jogar os dados
Sentia o medo no olhos dos meus inimigos
Ouvia como o povo cantava:
"Agora o velho rei está morto! Vida longa ao rei!"

Por um minuto segurei a chave
Próximo as paredes que se fechavam pra mim
E percebei que meu castelo estava erguido
Sobre pilares de sal e pilares de areia

Eu ouço os sinos de Jerusalém tocando
Os corais da cavalaria romana cantando
Seja meu espelho, minha espada e escudo
Meu missionário em uma terra estrangeira
Por um motivo que eu não sei explicar
Quando você se foi não havia
Não havia uma palavra honesta
Era assim, quando eu regia o mundo

Foi o terrível e selvagem vento
Que derrubou as portas para que eu entrasse
Janelas destruídas e o som de tambores
O povo não poderia acreditar no que me tornei

Revolucionários esperam
Pela minha cabeça em uma bandeja de prata
Apenas uma marionete em uma solitária corda
Oh, quem realmente ia querer ser rei?

Eu ouço os sinos de Jerusalém tocando
Os corais da cavalaria romana cantando
Seja meu espelho, minha espada e escudo
Meu missionário em uma terra estrangeira
Por um motivo que eu não sei explicar
Eu sei que São Pedro não chamará meu nome
Nunca uma palavra honesta
Mas, isso foi quando eu regia o mundo

eu A-DO-RO essa música. vcs não?
[o que me importa se é por causa da intensa exposição na mídia?...]

8 de jan de 2009

saudade...



g. foi passar um dia na casa da p.
ficou 3.
daí deu saudades e ela quis voltar. ainda bem!!
minha pituca já está aqui, debaixo das minhas asas... rs

4 de jan de 2009

lista de não-resoluções

Eu sei. Vai começar um ano-novo e você está aí, prenhe de boas intenções. Você vai isto, você vai aquilo. Ah, meu bem. Não vai, não. Lá no fundo, você sabe. Eu sei aqui, no raso. A gente não vai, coisa nenhuma. A gente faz essas listas longas que aplacam nossas consciências, mas que não adiantam para nada. Este ano vamos tentar algo diferente? Vamos fazer uma lista de nãos. As coisas que nós não vamos fazer.
1) Em 2009, nós não vamos: parar de comprar sapatos.
2) Em 2009, nós não vamos: parar de comer besteiras.
3) Em 2009, nós não vamos: fazer academia.
4) Em 2009, nós não vamos: parar de falar palavrão.
5) Em 2009, nós não vamos: emagrecer.
6) Em 2009, nós não vamos: ser mais sociáveis.
7) Em 2009, nós não vamos: parar de fumar.
8 ) Em 2009, nós não vamos: poupar 30% do que ganhamos.
9) Em 2009, nós não vamos: parar de ver tevê.
10) Em 2009, nós não vamos: ser mais organizados.


lista da fal. MUITO BOA! vai lá, ler todo o texto dela (aproveita e lê todos os outros posts!)
daqui a pouco vou fazer a MINHA lista de resoluções (ou não-resoluções, quem sabe...).