18 de mai de 2008

saúde (ou não)

bom, g. piorou no meio da semana passada, voltou a febre, moleza e tals. liguei pro pedi, q foi apressado e convencional. detestei. mandou fazer inalação com 2 remédios diferentes. DOIS. mandou dar um xarope (diz q é fitoterápico, sei lá). mandou dar os remédios q eu já estava dando de 2 em 2 horas ("ataque"). e avisou q talvez fosse entrar com antibiótico. tudo em 2 minutos de conversa, por telefone. DETESTEI. mas eu q liguei, pedindo ajuda, né?...
de qq maneira, g. passou o fim-de-semana bem, só com o "ataque" dos remédios de 2 em 2 horas. acho q a doença já cumpriu seu ciclo, vamos ver.
agora, a beatrice é q ficou doente. ontem estava com um inchado no pescoço, teve febre, hoje levamos no PS pra exame: CAXUMBA. ela está bem, mas aparentemente carente... quer tomar TOOODOS os remédios (obs.: caxumba não tem remédio específico, só acompanhar e aguardar q sara). tb, o QM fica discutindo contra, sempre. tô cansada, viu?
enfim...
na teoria, sei q uma doença pode vir num momento de mudança de paradigma, num momento de crescimento. sei q pode ser um "divisor de águas", qdo a criança apresenta algum salto.
porém, na prática, tb sei q doença é sinal de desequilíbrio (do organismo, de um modo geral). se tudo estivesse muito bem, o crescimento se daria sem atropelos.
e é isso q me preocupa (e me faz sentir culpa): quanto desequilíbrio tenho pela frente?... [não por não querer enfrentar, nem por covardia minha, mas por ver meus filhos envolvidos nisso, por vê-los sofrendo...]
é...

6 comentários:

Simone disse...

que bom seria se pudéssemos poupá-los. bom pra nós porque eles saem dessas mais fortes.

flores na janela disse...

é muito ruim mesmo né, me lembro que quando nós tivemos nossos problemas na infância, minha irmã tinha febres de até 40º sem motivos aparentes, é muito ruim. espero que ela melhore

carol gurgel disse...

Ana querida, lembra de mim??
Te achei no blog da Thaís, qto tempo mulher! Acho q a última vez que nos vimos foi naquela reunião da Materna em um hotel fazenda que nem me lembro onde heheheh!!!
Que peninha me deparar logo com um post desse. Melhoras pra Gabi, filho doente dói ainda mais, né?
bjos querida, adorei te reencontrar (ainda que virtualmente)

Luiz disse...

Aninha querida, ando muito sem tempo com tantos projetos para fazer. Voce mora no meu coração, e sabe disso. Tenho uma enorme admiração pelo seu talento, pela sua coragem, pela sua garra e, por que não, pela mulher linda que voce é. Fiquei feliz que tenha visitado o Imperfeito. Somos daqueles amigos que podem ficar muito tempo sem se falar que quando se encontram o papo continua. beijo e muitos, muitos votos de sucesso.

Luiz disse...

Ah Querida, esqueci 2 coisas super importantes. Claro, estou sempre à sua disposição, quando quiser trocar figurinhas é só mandar um email, enfim fazer fumaça.

E torço para que essa maré de dodóis se mande de perto de voces. Não se culpe e nem se preocupe, essas coisas acontecem mesmo nas melhores familias como a de Ana B.

Carla, a mãe! disse...

Te entendo! Em todos os pontos desse post. Mesmo!!!

Beijo