18 de dez de 2007

franjinha!!!!

eca, q horror!!!
essa onda de franjinha tá de matar... o q tem de muié velhusca de franja, "resgatando" sua juventude... ECA!!!
olha só, vejam se tem cabimento malu mader com "cara de menina"...


fonte: estrelando

o pior é q minha sogra sempre me enche o saco pra cortar a franja, e eu fiz (eu, não, a japoneusa) isso no mês passado... agora, além de ter q ficar cortando todo mês, ainda fico me sentindo A micada! de franja e com cara de tonta, igual a toda velhusca da face da terra!!!!

17 de dez de 2007

Tirado d'O pequeno príncipe:

(...)

- Um carneiro, se come arbusto, come também as flores?
- Um carneiro come tudo que encontra.
- Mesmo as flores que tenham espinho?
- Sim. Mesmo as que têm.
- Então... para que servem os espinhos?
Eu não sabia. Estava ocupadíssimo naquele instante, tentando desatarraxar do motor um parafuso muito apertado. Minha pane começava parecer demasiado grave, e em, breve já não teria água para beber...
- Para que servem os espinhos?
O principezinho jamais renunciava a uma pergunta, depois que a tivesse feito. Mas eu estava irritado com o parafuso e respondi qualquer coisa:
- Espinho não serve para nada. São pura maldade das flores.
- Oh!
Mas após um silêncio, ele me disse com uma espécie de rancor:
- Não acredito! As flores são fracas. Ingênuas. Defendem-se como podem. Elas se julgam terríveis com os seus espinhos...
Não respondi. Naquele instante eu pensava: "Se esse parafuso ainda resiste, vou fazê-lo saltar a martelo". O principezinho perturbou-me de novo as reflexões:
- E tu pensas então que as flores...
- Ora! Eu não penso nada. Eu respondi qualquer coisa. Eu só me ocupo com coisas sérias!
Ele olhou-me estupefato:
- Coisas sérias!
Via-me, martelo em punho, dedos sujos de graxa, curvado sobre um feio objeto.
- Tu falas como as pessoas grandes!
Senti um pouco de vergonha. Mas ele acrescentou, implacável:
- Tu confundes todas as coisas... Misturas tudo!
Estava realmente muito irritado. Sacudia ao vento cabelos de ouro:
- Eu conheço um planeta onde há um sujeito vermelho, quase roxo. Nunca cheirou uma flor. Nunca olhou uma estrela. Nunca amou ninguém. Nunca fez outra coisa senão somas. E o dia todo repete como tu: "Eu sou um homem sério! Eu sou um homem sério!" e isso o faz inchar-se de orgulho. Mas ele não é um homem; é um cogumelo!
- Um o quê?
- Um cogumelo!
O principezinho estava agora pálido de cólera.
- Há milhões e milhões de anos que as flores fabricam espinhos. Há milhões e milhões de anos que os carneiros as comem, apesar de tudo. E não será sério procurar compreender por que perdem tanto tempo fabricando espinhos inúteis? Não terá importância a guerra dos carneiros e das flores? Não será mais importante que as contas do tal sujeito? E se eu, por minha vez, conheço uma flor única no mundo, que só existe no meu planeta, e que um belo dia um carneirinho pode liquidar num só golpe, sem avaliar o que faz, - isto não tem importância?!
Corou um pouco, e continuou em seguida:
- Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões e milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando a contempla. Ele pensa: "Minha flor está lá, nalgum lugar..." Mas se o carneiro come a flor, é para ele, bruscamente, como se todas as estrelas se apagassem! E isto não tem importância!?
Não pôde dizer mais nada. Pôs-se bruscamente a soluçar. A noite caíra. Larguei as ferramentas. Ria-me do martelo, do parafuso, da sede e da morte. Havia numa estrela, num planeta, o meu, a Terra, um principezinho a consolar! Tomei-o nos braços. Embalei-o. E lhe dizia: "A flor que tu amas não está em perigo... Vou desenhar uma pequena mordaça para o carneiro... Uma armadura para a flor... Eu...". Eu não sabia o que dizer. Sentia-me desajeitado. Não sabia como atingi-lo, onde encontrá-lo... É tão misterioso, o país das lágrimas!


(...)

Hoje é dia de blogagem coletiva, para chamar atenção para a história de Flavia e, ao mesmo tempo, alertar sobre o perigo dos ralos das piscinas mal dimensionados, e, ainda, reclamar da lentidão da justiça brasileira, q após quase 10 anos, ainda não deu uma resposta satisfatória ao processo levado contra as empresas co-responsáveis pelo coma dela.
Odele, Flavia, sou solidária a vcs. Torço por vcs, e, como outros, aguardo o dia que sua luta obtiver vitória.
Flavia, é misterioso o país das lágrimas, mas haverá o dia q vc verá o país do sorriso, vitorioso, saudável, feliz. Eu acredito nisso, sua mãe tb! Feliz aniversário!

15 de dez de 2007

Timão!

ê, timão!!!!
a fifa acabou de confirmar q o time é MESMO campeão mundial de 2000!!!
RARARARARARARARA!!!!!

[clique no título, pra ver a notícia!]

12 de dez de 2007

Pernilongos...

Deixaram a janela aberta no quarto do meu filho.
À noite, qdo ele chegou, nós contamos 24 PERNILONGOS, mas tinha mais, eu é q me exasperei e parei de contar!
Vcs acreditam???
24 pernilongos só no quarto dele, parados nas paredes, fora os q estavam voando (e tinha!), fora os do quarto das meninas, fora os do meu quarto, fora os da sala, fora os da área de serviço, fora os de dentro da caixinha onde dorme minha bull terrier!!!!
E eu moro no sexto andar...

6 de dez de 2007

E na sala dos professores...

... encontrei um xerox de uma questão de uma prova, assim:

4) O que são apóstrofos?
Resposta [com letrinha bem redondinha, bonitinha]: Apóstrofos são os amigos de Jesus, que se juntaram naquela jantinha que Michelangelo fotografou.

Mas não é de sentar e chorar?... Na sala dos professores de uma Universidade!!!
É demais, não é?!!