29 de ago de 2007

Paciencia - Lenine

eu AMO essa música...
a vida não pára.
hoje mais do q nunca...

barata tonta...

...fiquei hoje o dia inteiro.
depois q passei no blog de uma amiga virtual, e ela postou q, anteontem, o marido, do nada, 30 e poucos anos, morreu depois de uma convulsão e uma parada cardíaca.
cara.
mundo muito estranho esse.
de repente, toda a cor do meu dia esvaiu-se.
fal... sei q nenhuma palavra vai adiantar agora... mas sinta meu carinho e meus pêsames, eu sinto muito!
gente bacana NUNCA devia passar por isso...
com tanta gente escrota dando sopa por aí...
ai, q merda.

25 de ago de 2007

a semana...

...foi hard!
vcs não imaginam qto!!!
3a feira saiu o resultado do Jabuti, ganhamos. legal!
4a feira, na hora do almoço, entramos na bunda de uma besta, parada (sem sinalização) no meio da marg. pinheiros. arregaçamos o carro... merda!
5a feira, cortei o cabelo, chegando em casa a g. não me reconheceu... "mãe, é você?..." tadinha...!
6a feira, fomos parados na marg. pinheiros, quase na bandeirantes, pela PM, pq a placa do carro não tinha visibilidade, e tivemos o documento do carro apreendido... ô, shit!!! enquanto o seu-guardinha fazia seu servicinho meia-boca, eu vi passarem pelo menos quatro carros com placa em muito pior estado, 2 trombadinhas fugindo de um assalto numa moto, e um carro importado entrando na contra-mão na saída do jockey... q país de merda vivemos... mas o seu-puliça fez o trabalho dele... ah, tá...
por outro lado, consolidamos uma amizade linda, e minha amiga fabiola fez uma homenagem bacana pra mim no blog dela, uma delícia!!! amizades assim valem a pena, né?!
_____________________________________________
update: mas eu não estou down, não, pelo contrário!
a semana foi hard, mas o saldo é positivo, por incrível q pareça! eu sempre penso q poderia ser pior... instinto de poliana, sabem?...

22 de ago de 2007

jabuti!



ah, ontem saiu os vencedores do Prêmio Jabuti edição 2007!
e nós vencemos!!! na categoria "projeto gráfico"!!!
o livro MAM na OCA ficou lindo mesmo, deu um trabalho enorme, e é muito prazeiroso ter o trabalho reconhecido!
fiquei muito feliz!
notinha do estadão, leia aqui.
notinha no globo, clique aqui.
e no próprio site da CBL, veja meu nominho lá!!!

21 de ago de 2007

o q é a compreensão do cerumano, né, minha gente?...

na frente do meu estúdio tem uma pracinha. nem simpática nem nada, mas um pontinho de verde, vá lá...
com umas árvores enormes, pra tentar filtrar um pouco da poluição da lapa, q já foi um bairrinho bacaninha, mas hoje ninguém nem lembra q existe.
não importa, o fato é q existe a tal praça, verdinha, mas o povo, ah, nosso povo...
na ponta de lá existe uma árvore enooorme (q eu nem vou arriscar o nome, de tão urbana q sou) e um espaço sem grama embaixo, pq não bate sol, pq é a área da raiz e tal.
o povo q passa por aqui deixa LIXO desde sempre nesse espaço (gente a pé e gente de carro, até importado, q eu já vi!).
ora, a praça não é depósito de lixo, concordam?
então, depois de alguns moradores reclamarem, a prefeitura veio e colocou uma placa, avisando os incautos q ali NÃO É local pra se jogar lixo. ah, claro, o povo não sabia, ah táá...


então, pouco a pouco, as pessoas ficaram inibidas (ou se concientizaram) e deixaram de jogar lixo lá...


só que...


ninguém falou nada sobre jogar lixo na parte DE TRÁS da árvore... se ninguém falou nada (nem colocou placa), então deve poder, né?...
elementar, meu caro watson!!!

20 de ago de 2007

segunda-feira...


[clique na imagem para visualizá-la maior]

preciso dizer mais?...

15 de ago de 2007

estou aqui!!!!

sumida, eu sei, ocupadérrima com as mil facetas da minha vida...
não desisti de falar sobre amamentação prolongada, pq percebi, em função dos últimos posts (e de ser acusada injustamente de radical, xiita, insensível...), q muitas pessoas acham, erroneamente, q amamentar após os 6 meses não traz benefícios reais, nutricionais...
de repente, eu percebi q as mulheres podem se ressentir com o discurso da amamentação a longo prazo justamente pq elas acham q dão tanto carinho (e colo, aconchego, amor, muito associados à amam. prolongada) qto a mãe q amamenta por 2, 3 anos...
mas não é só isso!
amamentar por 2 anos (ou mais) traz, sim, benefícios NUTRICIONAIS ao bebê.
estudos pululam por aí... basta querer lê-los.
por exemplo, aqui (indicação da vanessa, nutricionista de mão cheia).
estamos preparando, na matrice, um material sobre esse assunto, em breve eu aviso aqui.
por outro lado, PRA MIM, essa justificativa não é fundamental... EU sei, intuitivamente, q minha filha se beneficia enormemente de mamar no peito por mais tempo q os reles 6 meses...
eu fico maluca qdo ouço algum pediatra-mequetrefe (e, acreditem, isso existe aos montes) falar pra mãezinha q o leite-é-fraco, já-tá-bom, não-cresce-como-ELE-gostaria, não-cresce-na-tabela, é mais fácil indicar um leite de vaca e parar de ouvir as reclamações dos pais do q insistir e orientar adequadamente uma boa pega, como relaxar, como tratar uma mastite, como fazer livre-demanda (muitos não sabem nada disso!)...
agora...
o q tem de mãe louca pra ouvir de fora uma justificativa qq q corrobore o desmame... ah, é o q mais tem!
"eu queria tanto, mas o doutô disse q não dava...", "eu queria tanto, mas o bb não engordava os 30gr por dia da tabela xyz...", "eu queria tanto, mas já tá bom, né?...", "eu queria tanto, mas é feio criança grandona mamando no peito...", "eu queria tanto, mas não saía mais nada...".
e depois me chamam de exagerada!!!
essas situações existem, mas pra cada uma delas, existe uma resposta alternativa... mas a mulher precisa QUERER, procurar, se informar, acreditar, se cercar dos profissionais certos...
*
gabriela precisa ir pra escola... e agora?
(pensa q é fácil? temos mais 2 filhos na escola... sabe qto custa isso tudo??)
*
indo pra campinas... trabalhar! bjs!

9 de ago de 2007

Minha resposta pra mulherada do Livro de Visita do Mothern:

Olá, pessoal, boa tarde.
Sou a "tal Ana Basaglia", q tanto vcs têm comentado por aqui...
Venho a público dar algumas derradeiras explicações, pq eu realmente fiquei muito chateada com tudo q aconteceu...
Volto a repetir, a publicação do texto da Tatiana no blog da Matrice, sem estabelecer a autoria, foi com a intenção de apenas ilustrar equívocos na questão da amamentação em geral, sem pretender prejudicar diretamente ninguém.
Não preciso me estender aqui, pq me entende quem quiser, e vê intenção de dolo tb quem quer. O blog da Matrice já se retratou, já se explicou, já tirou o texto do ar, e já propôs um espaço de discussão (no sentido da conversa) para questionamentos sobre o q é realmente equívoco em amamentação.
De fato, visitei os blogs de todas as meninas q reclamaram na Matrice e respondi a cada uma delas e, acreditem, meu tom não foi falso. Eu escrevo muito parecido de como eu sou, e minha intenção ao visitá-las foi tentar esclarecer meu jeito de pensar.
Mas, aparentemente, não fui feliz ao citar o assunto em meu próprio blog, pois vi um post da própria Tatiana (o único q eu li desde então) reclamando q eu as chamei de "malucas"...
Qto a isso, não posso remediar... só tenho a dizer q é meu jeito de falar, de me expressar. Em tanto tempo de mundo virtual, já vi gente se tratando de maneira bem mais chula, e ninguém se estranhou. Quem me conhece, sabe desse meu jeito irreverente. Quem freqüenta meu blog, já me viu xingando marido, filho, amigo, nunca com palavrão, mas palavras como "maluco", "besta", "infeliz", "vaca", aparecem sempre...
De mais a mais, não é uma "maluquice" vcs acharem q quem defende a amamentação não se incomoda em ver o próprio filho passando fome?? Não é uma "maluquice" dizer q quem defende a amamentação faz distinção entre "mãe q amamenta" e "mãe q não amamenta", classificando-as em "boa mãe" e "má mãe"??
Vcs disseram isso (e coisas muito mais "malucas") ao reclamarem sobre o post não-autorizado (posso apontar textualmente aonde está escrito isso), vendo falta de apoio da parte da Matrice onde é justamente o contrário:
- o blog está aberto a quem quiser escrever e relatar sua experiência (boa ou ruim, tanto faz) em amamentar, os posts não são moderados
- o blog disponibiliza email e telefone a quem quiser um atendimento mais pessoal
- o grupo Matrice promove reuniões semanais e mensais, abertas a quem quiser aparecer, sem prévia inscrição, nem custo nenhum
- o grande, maior objetivo da Matrice é promover um espaço onde as mães (e quem mais quiser) possam trocar experiências e fortalecer suas convicções acerca da amamentação. Nosso "trabalho" é totalmente voluntário, e nossa expectativa é ajudar quem nos procura; nós não corremos atrás de ninguém, pois acreditamos q pede ajuda quem quer ser ajudado.
Por fim, eu acredito, Tatiana, que todo relacionamento (virtual ou real) pressupõe uma disposição em compreender o outro, e se eu devo domar minhas palavras, acredito que aquelas que nos acusam de xiitas da amamentação devem fazê-lo também: se estamos dispostas a darmos horas de trabalho voluntário para apoiar mulheres com dificuldades na amamentação, não é para "obrigar o mundo a gostar do que gostamos...", mas simplesmente para ajudar mulheres com dificuldades de amamentação.
Pessoalmente, vou já deslinkar o “casa da sogra” do meu blog (eu te pedi/avisei do link, lembra?), pois a relação superficial nos termos propostos por vc não me interessa...
Abs a todas,
Ana Basaglia

* * * * * * * * *
Esse assunto ainda vai render... não discussão, q isso não me interessa meeesmo (eu não tenho mais idade pra isso!! rs), mas é q eu percebi uma lacuna na minha/nossa comunicação: muita gente ainda pensa q amamentar prolongadamente é principalmente uma questão de vínculo afetivo, e, nesse sentido, a mensagem nas entrelinhas acabaria sendo q quem não amamenta por muito tempo não mantém o vínculo adequado com seu filho.
E não é absolutamente isso!!!!
Vou ali pegar uns estudos, organizar melhor a informação, e depois eu volto!!
* * * * * * * * *
Nasceu meu sobrinho ontem!
Cesárea por suspeita de "sofrimento fetal", os pais não quiseram "arriscar"... A mãe fez um exame em um hospital da cidade à tarde, resolveram optar pela cirurgia, deu tempo de se locomover para o outro hospital, fazer a internação, a médica deu conta de suas consultas do dia, a cesárea foi feita às 19h. Precisa dizer mais?...
Ah, não mamou na primeira hora...
Ai.
* * * * * * * * *
O divertido da coisa (nesse mar de maluquice) é q agora toda minha família tem duas pessoas fazendo aniversário no mesmo dia: marido, filhas e filho (ontem foi aniversário do R.).
MENOS EU, q tenho um dia só pra mim!!!! rarara!!!

7 de ago de 2007

amamentação prolongada

Meu primeiro filho (q amanhã completa 19 anos!) mamou até 8 meses (os 6 meses iniciais só no peito). Contra tudo e contra todos. Mãe, sogra, pediatra... “dá um chazinho”... “dá um suquinho”... “segue aqui a lista de introdução de alimentos (para crianças de 4 meses)”... Aos 8 meses, cansada de tanta pressão, e já retomando minha “vida social”, desmamei o menino, afinal, “ele já havia mamado tanto” (palavras de todo mundo).
Minha filha do meio mamou apenas até 5 meses. Retornando ao trabalho em tempo integral, foi a coisa mais fácil desmamar uma criança com 5 meses... Mas o pediatra me garantiu que já era tempo mesmo... Ledo engano!
Minha filha caçula mama até hoje, passados 3 anos e 8 meses de seu nascimento. Ela veio na época mais atribulada da minha vida, estou cheia de compromissos, agora tenho um estúdio e dou aulas à noite. Mesmo assim, a amamentação não foi um problema, a gente conseguiu driblar os horários, a introdução dos alimentos foi feita bem mais tarde, no ritmo dela (por volta de 9 meses), e ela é uma menina equilibrada, carinhosa, saudável.
Amamentação prolongada é fundamental na vida de qualquer criança, pois é de sua natureza mamar por bem mais que uns poucos meses! Eu percebo isso comparando minha experiência com meus filhos mais velhos e com minha caçula!
Hoje eu entendo que eu deveria ter ouvido mais minha intuição, e que amamentação é muito mais que alimentar com leite, amamentação é dar amor, é se relacionar, é estar presente, é olhar nos olhos, é dar conforto, é estar sempre ao alcance de um colo!
* * * * * * * * * * * * * *
desde ontem, está acontecendo um rebuliço lá no blog da Matrice...
resumidamente (vou tentar, pq quem me conhece sabe q eu não sei sucinta!), no início do blog eu criei uma página onde eu pretendia publicar posts sobre os equívocos da amamentação, garimpados na net (e portanto, públicos, no meu entender). no final, por inércia, por não ser exatamente importante, essa página acabou ficando com um post só (apesar de eu ter mais alguns outros textos colecionados), meio esquecida.
uma amiga da dona do post publicado finalmente achou o texto, e se sentiu ofendida (essa pessoa tb está passando por um momento de dificuldade na amamentação do filho, está complementando sob a orientação do pediatra); avisou a dona do texto, fez um auê! várias mulheres se manifestaram, chamaram a gente de irresponsável, de xiitas, afirmaram q a gente prefere um filho passando fome só pra não dar o braço a torcer e manter a amamentação exclusiva!!!
gente, q viagem!!!
o problema é q compromete todo um trabalho bacana, de formiguinha!
todo um blog, repleto de posts legais, de depoimentos lindos, de textos q remetem à uma reflexão, e a única coisa q aquelas malucas conseguem reclamar é q eu tentei piratear o texto alheio (??), q o grupo não respeita mães q não amamentam (aonde isso???), pior, q o grupo faz distinção entre mães q amamentam - q seriam a nosso ver mães mais amorosas - e mães q não amamentam - mães menos valorosas...
alguém toca a campainha, q eu quero descer!!!!!
o post foi apagado do blog, mas estou pensando seriamente em publicá-lo aqui, logo mais...

2 de ago de 2007

amamentação na primeira hora

meu primeiro filho nasceu apenas uma hora após eu ter chegado na maternidade. infelizmente, por falta de conhecimento (meu, mas principalmente da equipe q me acompanhou no parto), ele foi levado e só pude realmente pegá-lo após as maledetas 3 horas "para observação".
minha segunda filha nasceu 54 minutos depois de eu ter chegado na maternidade (eu acordei às 6h com uma contração, cheguei na maternidade às 7h30, ela nasceu às 8h24!). mesmo com essa história de parto rápido, vitorioso, sem intercorrências, sem motivo nenhum ela foi afastada do meu convívio por cerca de 3 horas "para observação" no berçário.
qdo eu engravidei pela terceira vez, quis fazer diferente.
no início, eu não sabia exatamente o q me incomodava, mas alguma coisa não batia, algo não me satisfazia nessa história toda!
meus partos foram normais, rápidos, o q estava faltando?
faltava protagonismo, faltava respeito, faltava proximidade...



minha caçula nasceu com o acompanhamento de uma parteira-obstetra, sem absolutamente nenhuma intervenção, e veio imediatamente pro meu colo assim q nasceu.
ficamos nos conhecendo, nos namorando, e ela, instintivamente, abriu a boquinha e começou a mamar. tão simples, tão fácil, tão descomplicado...
apenas porque estava disponível. apenas pq eu estava desperta, sem nenhum fármaco na minha corrente sangüínea me impedindo de interagir com ela (nem na corrente sangüínea da minha bebê!!), apenas pq minha filha estava no meu colo, muito próxima de mim.
e foi um namoro q dura até hoje!
de verdade... quem não passou por isso, não sabe o q está perdendo.
e quem não luta por restabelecer esse contato mágico nesse momento tão especial do início de uma nova família é maluco ou doente do pé...
é isso!