11 de jul de 2007

amor, demonstrações, filhos...

li há uns dias atrás o blog da renata, e ela escrevia sobre as "manifestações" de amor dos pais dela. aliás, sobre a ausência dessas manifestações!
meus pais são idênticos. nunca foram de abraçar, beijar, manifestar... diz meu QM q o importante é a intenção, mais do q "palavras", ou atos, q podem ser muitas vezes "superficiais"...
concordo em parte.
o contínuo treinamento de uma ação, muitas vezes, leva à ação propriamente dita!*
assim, de tanto ver "manifestado" o amor (principalmente vindo dos pais), as crianças acabam por se sentir seguras o suficiente para seguir em frente.
não é tão simples assim, claro, mas o pt q eu queria abordar é q meus pais nunca foram de se "manifestar" e hoje temos muitos problemas de relacionamento, a pt de mal nos falarmos. eu me sinto "insegura" com eles... eu acho q eles não me querem bem o suficiente... eu acho q eles gostam mais dos meus irmãos (q são mais bem sucedidos financeiramente do q eu), q eles respeitam mais as escolhas deles do q as minhas...
de maneira geral, eu consigo deixar esse assunto guardado bem debaixo do tapete, pq é doloroso, claro.
mas hoje de manhã, minha caçula apareceu cedinho no quarto, querendo atenção. e ela é uma fofa!!
ela me abraçou bem gostoso e disse, olho-no-olho: "mamãe, eu amo você".
eu tenho uma boa relação com meus filhos mais velhos. boa, mesmo. no geral, eles são equilibrados, bem-sucedidos, respeitosos, amorosos. mas conforme vão crescendo, a distância "física" surge, os abraços ficam escassos, os apertos, os chamegos... é meio natural q isso aconteça, eu acho.
mas a g. é pura transparência! e amor!
ninguém ensinou essa declaração pra ela (q deve ter aprendido na tv, no mínimo!).
a gente em casa é amoroso, mas não tão meloso (rs). é dela esse tom.
e é tão bom!!!
e acaba (re)ensinando a todos nós o q realmente é importante!
dizer "eu te amo" é sempre importante, por mais q vc saiba q o outro sabe!
DIZER É IMPORTANTE!


* a esse respeito, tem um livro muito bom, de um filósofo (André Comte-Sponville), chamado "Pequeno Tratado das Grandes Virtudes", editora Martins Fontes. Tem na livraria Cultura (eu não ganho nada com a indicação, claro, mas vale dar uma passeada pelo autor...)

8 comentários:

Carla disse...

Ana B. eu te amo!!!!

Meus amores disse...

Ana... pelo que estou sabendo o encontro vai ser la no hotel onde a Re esta hospedada...
Me liga... 11 83818803
Beijos Vanessa

Renata disse...

engraçado... eu nunca tinha parado para pensar nisso, porque pra mim, na minha estória pessoal, sempre foi uma coisa tão natural, essa afetividade. acho que tenho mesmo muita sorte. meus pais sempre foram do tipo que abraça, beija, aperta e repete 'eu te amo' várias vezes ao dia, ao telefone, na hora de dormir... eu venho repetindo isso com as minhas filhas, meio que intuitivamente, sem pensar muito a respeito. abraço, aperto e beijo o tempo todo, e estou sempre dizendo 'te amo, te amo!'. elas já estão aprendendo, a Ana Luz agora olha pra mim e pergunta: 'você me ama?'... :O) vê se pode!!

thais disse...

ah, minha mae sempre foi grudenta, mesmo com as filhas grandes. e a gente tem, no geral, uma relação muito boa. meu pai nunca foi de beijar, abraçar, falar. aí, quando ele fala, a gente fica até sem graça. hahaahahhaahahhahaha
eu sou grudenta com os meus filhos, mas sei que vai chegar uma época em que eles não vão mais querer essa meleca toda. hahahaahah.......
acho que eu vou continuar insistindo.

Meus amores disse...

Olha só... vai ser hoje, na Bela Cintra numero 652 - hotel Carillon Plaza
o pessoal esta marcando de se encontrar as 19hs e de lá sai para uma pizza...
Vc vai né??
Beijos Vanessa

Rebeca disse...

Muito bom tudo, dorei...
Desculpa a demora em retribuir a visita, cabeça ruim...
Bjocas.

Anônimo disse...

Ana...


Quero cumprimentá-la pelo comentário de hoje: 18/07/07, no blog da Rê.
Tinha que ser uma professora!
Brigo sempre por isso: DIREITOS e DEVERES de todos IGUALMENTE.
Nos menores detalhes da vida.
Esse é o caminho.
Uma boa noite pra vc.
Ps. Tb sou professora.
Morgan(interior de São Paulo).

Renato Bueloni Ferreira disse...

sinto-me meio penetra onde só há comentários femininos, mas....com meus filhos tb faço isto..abraço, beijo, colo, carinho...acho que não devemos ter vergonha de demonstrar o amor que temos pelos filhos...e pelos pais tb!!